Origem do Escapulário.

 

Escapulário

Você já parou para pensar porque as pessoas usam o escapulário? O que será que eles significam?

Aqui vamos esclarecer essas duvidas e te contar um pouco mais sobre eles.

 

Origem

 

O escapulário teve origem pelas ordens monásticas e consiste, basicamente, em um colar que passa sobre o peito, de ombro a ombro, e cobre a frente e as costas da pessoa com uma abertura para a cabeça. Porém, inicialmente, o escapulário serviu mais como um avental, sendo feito de tecido, usado durante o trabalho, especialmente no campo agrícola.

A  palavra escapulário significa armadura” ou “proteção”, mas segundo a Igreja Católica ela representa a obediência a Cristo.

A história toda começa com Elias. Acredita-se que o profeta estava enfrentando uma grande seca em Israel que durou cerca de três anos e meio, resultando em falta de água nos poços e as pessoas já não resistiam mais a fome e a escassez. Então, Elias subiu no Monte Carmelo, orou por seis vezes, sem respostas, pedindo para que seu Deus mandasse chuva. Foi ai que uma nuvem, alguns dizem que em formato de um pé, outros do tamanho da mão de um homem, apareceu e se quebrou, levando chuva suficiente para acabar com toda a seca daquele deserto.

Há três teorias sobre essa nuvem; Alguns acreditam que a nuvem correspondia à profecia de Gênesis, na qual o pé da Mulher esmagaria a cabeça da serpente e essa Mulher seria Nossa Senhora;

Outros que foi a Imaculada Conceição, pois a nuvem que se formou no mar salgado, derramou água fresca,  e é visto como seu espelhar.

Uma terceira crença vê uma alusão a Maria como a Mediadora das graças, pois de uma única nuvem fluiu uma imensa quantidade de chuva que recuperou todo o deserto e aqueles que tinham fome.

Depois desse evento, Elias formou uma comunidade de eremitas no Monte Carmelo, e foi a partir desta comunidade que a Ordem Carmelita nasceu no final do século XI.

Em 16 de julho de 1251, na cidade de Aylesford, na Inglaterra, a Nossa Senhora de Aparecida apareceu a São Simão Stock, um carmelita,  dizendo: “Este será o privilégio para ti e todos os carmelitas; quem morrer vestindo-o, se salvará” e  fez promessas a todos aqueles que usassem com devoção o seu escapulário.

Segundo o catolicismo, a Virgem Santissima prometeu a São Stock proteção durante toda  a vida;

Assistência na hora da morte;

E salvação eterna.

A partir daí o escapulário se consagrou, passou por uma adaptação para que leigos também pudessem usar com esperança de que essas promessas sejam cumpridas.

Havia até uma crença de que aquele que deixasse de usa-lo, seria punido, pois, para eles,  o monge que retirasse o acessório estava se recusando a carregar o peso da obediência nos ombros.

Muitos fiéis passaram a usar o escapulário como uma forma de proteção, porém, o Papa Pio XII pediu para que o objeto não fosse usado como amuleto, segundo ele, representa muito mais, pois quem recebe o escapulário está ligado a fraternidade da ordem carmelitana. A crença diz que ao receber o escapulário a pessoa se entrega a Virgem Maria.

Acredita-se que a aparência geral do escapulário de Nossa Senhora do Monte Carmelo é composto de dois pedaços marrons de lã, juntamente com a imagem de Nossa Senhora do Carmo.

 

Alguns modelos de escapulário e seus significados

 

Escapulário Verde

 

O escapulário verde, ou o escapulário de Conversão, teria sido criado em 1840, quando Maria apareceu à Irmã Justine Bisqueyburu das Filhas da Caridade, em Paris. Tornando-se conhecido como o escapulário da conversão pois opera milagres no corpo e na alma além de promessas de fortalecimento da fé, proteção contra Satanás, uma morte feliz para os católicos e especialmente para aqueles que estejam fora da igreja. Sendo o  verde a cor da esperança, as pessoas  confiam em Maria todos os seus medos, angústias e necessidades, buscando respostas e auxilio. Não há necessidade de se fazer parte de alguma fraternidade para usar o escapulário verde, no entanto, os padres pedem para que todos sejam abençoados.

 

Escapulário Azul da Imaculada Conceição

 

O Escapulário Azul tem sua origem na aparição de Nossa Senhora da Imaculada Conceição que aconteceu em 2 de fevereiro de 1617 à Irmã Úrsula Benincasa, o objeto foi dado por Nossa Senhora à Irmã

Benincasa, que pediu ao Senhor para atender os grandes favores que ele prometeu à sua Ordem e aos fiéis que usassem o escapulário azul para garantir a conversão dos pecadores.  A regra para o escapulário azul, é que  ele deve ser feito de tecido de lã azul e geralmente tem um símbolo da Imaculada Conceição em uma peça e o nome de Maria na outra.

 

Escapulário Vermelho

 

O escapulário vermelho da Paixão também originou-se de uma aparição em 1846 a uma Irmã da Caridade de São Vicente de Paulo. Jesus revelou para ela um escapulário e prometeu que todos os que o usassem ele concederia um grande aumento de fé, esperança e caridade a cada sexta-feira.Nesse escapulário se encontra a seguinte frase: “Paixão Sagrada de Nosso Senhor Jesus Cristo nos Salve” em uma lado, e do outro,  “Sagrado Coração de Jesus e Maria, proteja-nos”.

 

Escapulário do Sagrado Coração de Jesus

 

Este é bem popular e teve sua origem de uma versão criada pela Beata (mulher beatificada pela Igreja)Margarida Maria Alacoque, que fez e distribuiu os escapulários. O escapulário do Sagrado Coração de Jesus foi amplamente usado durante a praga em Marselha como uma forma de proteção, e também durante os horrores da Revolução Francesa como uma salvação para os fiéis.

De um lado exibia o Sagrado Coração, enquanto o outro da Santíssima Virgem sob a inscrição Mãe da Misericórdia.

 

Escapulário de Nossa Senhora do Resgate

 

O escapulário de Nossa Senhora do Resgate foi fundado pelos Padres da Ordem de Nossa Senhora da Misericórdia para o resgate dos prisioneiros em 1256. Quem utiliza este escapulário pertence automaticamente à ordem dos carmelitas.

 

Escapulário de São Miguel Arcanjo

 

O escapulário de São Miguel Arcanjo foi criado em 1878, quando a Igreja de Santo Eustáquio, em Roma, fundou uma confraria em sua homenagem. O escapulário de São Miguel Arcanjo é único, pois tem a forma de um escudo, um preto e um azul. Em cada escudo está a imagem de São Miguel matando o dragão junto com as palavras “Quis ut Deus”.

 

Escapulário de São José

 

O escapulário de São José pertence à Ordem Capuchinha e foi aprovado pela diocese de Verona por decreto da Congregação dos Ritos em 1880. O escapulário de São José serve como um lembrete das virtudes de São José, humildade, modéstia e pureza, as pessoas costumam rezar para São José, pedindo em suas orações pela Igreja e para ajudar os doentes.

Este escapulário foi criado a partir de duas peças de lã de cor violeta, nas quais são costuradas duas peças de tecido de ouro do mesmo tamanho, conectadas com cordas brancas. No segmento dianteiro de tecido de ouro está a imagem de São José segurando o menino Jesus no braço direito com um caule de lírios à esquerda. Abaixo desta imagem está a inscrição “St. José, padroeiro da Igreja, rogai por nós ”. O outro pedaço de ouro de tecido é decorado com a coroa papal, acima da coroa é a pomba, para representar o Espírito Santo, e abaixo de uma cruz com as chaves de Pedro e a inscrição. “O Espírito do Senhor é o seu Guia”. Assim como todos os outros escapulários, a Igreja  recomenda- que o Escapulário de São José seja abençoado por um sacerdote.

 

Escapulário de Cinco Dobras

 

O Escapulário de Cinco Dobraduras consiste dos cinco escapulários mais populares:

O Escapulário Vermelho da Paixão

O Escapulário da Santíssima Trindade

O Escapulário Castanho de Nossa Senhora do Monte Carmelo

O Escapulário Negro das Sete  Dores de Maria e o

Escapulário Azul da Imaculada Conceição.

Segundo o catolicismo, quando todos os cinco escapulários estiverem unidos, todos eles devem ser amarrados em faixas de lã vermelha, como é obrigatório para o Escapulário Vermelho da Paixão. Ao usar o  Escapulário de Cinco Dobras, o Escapulário Vermelho da Paixão deve ser o mais importante para que a imagem de Jesus na Cruz seja visível. O quinto escapulário deve ser o da Santíssima Trindade, com a imagem da cruz vermelha e azul exposta.

 

Medalhas que conhecemos hoje

 

De acordo com o Santo Ofício (instituição que era formada por alguns da Igreja Católica que perseguia, julgava e punia pessoas acusadas de se desviar de suas normas de conduta) a partir de 16 de dezembro de 1910, uma medalha escapular passou a ser uma substituição aceitável para o escapulário tradicional de pano de lã, e pode substituir vários escapulários se for abençoado com cada bênção individual de cada um para os quais está sendo substituído. Uma medalha escapular deve consistir na imagem do Sagrado Coração de Jesus de um lado e uma representação da Bem-Aventurada Virgem Maria geralmente Nossa Senhora do Monte Carmelo do outro. Como com todos os escapulários, acredita-se que uma medalha escapular deve ser usada em todos os momentos para receber as graças associadas a ela.

E ai, já escolheu o seu?